segunda-feira, 3 de outubro de 2011

System of a Down apoteótico


System of a down


No último Sábado fui a chácara do Jockei em São Paulo assistir ao show do System of a Down que mais parecia a celebração da virada do ano. O público, transbordando de uma indizível alegria, se abraçava e se batia cantando as musicas que vem marcando suas vidas nesses últimos dez anos.
Surgidos em uma década marcada pela musica pop, o Hip hop e o melódico, o SOAD transcendeu barreiras e se tornou a maior e mais criativa banda de Rock do século XXI.
Ao vivo, eles não deixam nada a desejar. A qualidade do som é tão boa quanto o Cd. A fusão dos ritmos (Metal/Rap/ Regional) somado a interpretação peculiar de Serj Tankian te deixam tão animado como em uma torcida de Futebol. A banda inteira é faixa preta, inclusive os técnicos de som, que tiraram um som impecável na Chacra do Jockei. O Malakian as vezes da uma vacilada nas Guitarras, mas creio que seja até de propósito, pois o Rock tradicionalmente é cheio dessas vaciladas e alguns outros erros.
O repertório foi completo. Tocaram o”Toxicity”praticamente inteiro, e ainda clássicos do primeiro álbum como “Suggestions”e “Mind” Que deixou os fãns tão loucos, que tive que chegar um pouco para o canto com minha namorada e a minha cerveja derramada. Ainda tocaram “Innervision” que é um lado B clássico da Banda. Faltou apenas “Spider”, como o apelido do Anderson Silva.
O público ficou enlouquecido e satisfeito. Nenhuma confusão, ninguém puto. Galera se abraçava e cantava os refrões como se fossem hinos de seus clubes de Futebol, até mesmo o hino de toda uma nação. O sorrisos e os olhos injetados estavam estampados em cada fã.
Eu tive uma das noites mais agradáveis da minha vida em termos de entretenimento. Bebi muitas cervejas, cantei todas as músicas, não fumei maconha, e berrei como em uma seção de descarrego. As dores que vinha sentindo na lombar diminuíram significativamente no dia seguinte. O SOAD tem o poder da cura, aliás isso é algo que Serj insiste em dizer no show. O homem do séc XX ruma em sua auto destruição em meio a produção de tecnologia em massa. A cura ou a salvação não está em deus, nem no consumismo, em nossa capacidade em nos conectar com o planeta que é um organismo que faz parte de nós como as células no nosso corpo.
Os caras não estão de bobeira, sai todo mundo renovado do show. E apesar de alguns acharem a mensagem clichê, é exatamente o que acontece na situação atual do nosso mundo. Falhas na conexão entre a mente, o corpo e o planeta.

Resumindo o Show foi Excelente. Não sou critico, nem porra de pobre Diabo que o seja, mas a nota que dou para os caras é 10.

Banda– 10
Repertório – 10
Organização do evento – 9,5

8 comentários:

  1. É isso aí Erich você falou tudo!

    ResponderExcluir
  2. Me sinto a última infeliz da longa fila dos infelizes por ter perdido a dupla e única [muito provavelmente] chance de presenciar a minha primeira grande paixão musical tocar no meu país ...
    Só puder ver a transmissão do Rock In Rio, me emocionar durante toda a duração do show e ficar feliz por ver neles - Daron, meu freak mais amado; John, sempre de boa; Shavo, o metal guy da banda, uma empolgação sem fim; e Serj, que desde os tempos de escola, quando descobri a SOAD, idos de 2002, 2003, chamo [boba e] carinhosamente de Sejinho - uma alegria tocante e contagiante por estar naquele palco .

    Muita coisa se passou nesses 9 anos, minha relação com a banda mudou - o que é inalterável, passe-se 1 década, passem-se 27 anos, passe-se uma vida inteira, é o sentimento que a música deles me despertam, as memórias que elas me trazem e a consciência de que ainda existem pessoas que, mesmo fazendo parte da indústria ["You must enter a room to destroy it "], fogem de suas engrenagens mais idiotas, fazem um som sui generis e do caralho .

    Muito obrigada por isso tudo, SOAD .
    E muito feliz que você tenha testemunhado isso, Erich .

    ResponderExcluir
  3. Realmente foi foda!!
    Valeu a pena tirar a poeira até da alma depois do show!

    ResponderExcluir
  4. Foi impressão minha ou a forma de escrever (condução das idéias) não lembrou nem um pouco o estilo do Erich? ... uma pessoa pode se expressar de algumas maneiras bem distintas.
    Fico no aguardo de uma glutonaria para meus olhos. O Review não os alimentaram.

    ResponderExcluir
  5. POxa...me sinto um peixe fora d'agua. Uma das bandas da minha vida tocou em São Paulo e eu não pude ir...pude apenas acompanhar o show do RIR pela TV, me emocionando a cada canção, pulando, gritando, sentindo toda aquela energia, mesmo que somente pela tela da TV!
    Que bom q vc, Erich, pode presenciar esse evento maravilhoso e colocar pra gente o que vc sentiu.
    Suas palavras demonstram toda emoção de estar num show desses...SOAD é muito foda!!!

    ResponderExcluir
  6. Poxa Andressa, o" Serginho" arrasou mesmo. Como disse Andstaley, sacudiu a a poeira até a alma. O olho do mal assistiu a tudo isso bem de perto. Foi uma noite pacífica e inesquecível. Esperamos todos que eles voltem logo.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir