domingo, 13 de novembro de 2011

Kayne west; A maior farsa do show business

Na pior das hipóteses, não é possível confiar em uma só palavra que esse cara diz. Como isso foi acontecer? Ontem fui ao primeiro dia do SWU na cidade de Paulínia (Não sei exatamente por que eu fui nesse dia, provavelmente para prestigiar os meus amigos da Groove) e me deparei com o show desse cara, que segundo suas próprias palavras, se considera uma figura bíblica, possívelmente também uma figura pagã, um Semi Deus. De fato, seus crimes contra os direitos autorais de outros artistas póstumos e seus delírios megalomaníacos fazem desse homem de 34 anos se comportar como um sátiro.
O dia começou estranho. Muito estranho. Caminhando pelas ruas de São Paulo, topei com uma sujeito discreto, óculos escuros e chapéu coco que por muito pouco não esbarrou no meu ombro. Era o Ringo Star. Legal, pensei, acabo de cruzar um homem que seguindo por esse mundo sem raízes dividiu longas horas de sua vida com John Lenon. Eu, um cara errante, cheio de energia acumulada que poderia muito bem estar bêbado a essa hora do dia, tropeçar em cima dele e ter todos os meus dentes esparramados no chão pela frota de seguranças que escoltavam o Beatle menos reconhecido.
A noite, já no festival, outra baterista importante em linha cruzada com a minha vida, o do System of a down. Esse, eu tive a oportunidade de comprimenta-lo, mas... como as pessoas importantes não querem saber de mim, ele nada fez além de falar um bando de piadinhas sem graça e ficar babando sobre os peitos da minha namorada. Esses caras são de outra raça. Steve Jobses, Ringo Stares, John Lenons, Kayne Westes, bateristas do SOAD. Mas se por outro lado, eu me der o luxo de pensar e refletir que esse cara também deve ter um nome, e eu apenas sei que ele toca bateria ... Isso torna justa a situação.
Após uma longa batalha contra antigos espíritos do mal e amuletos vodus consegui chegar a tenda aonde me foi possível entrar em contato com a quinta essência da arte que é a música do Kayne.
Algo confirmou que meus instintos estavam certos quando, toda vez que eu ouvia esse cara cantando com aquele autotune infernal, eu pensava em merda. Dessa forma, lá fui eu, rumo a um horizonte desconhecido assistir a apresentação, para, ao menos, ter uma opinião precisa quando for dizer algo sobre Kayne West, um homem de 34 anos, que segundo suas próprias palavrasdespreparadas afirma que, se a bíblia tivesse sido escrita hoje, seu nome certamente seria mencionado nela.
O cenário do palco é o seguinte; Uma imagem em estilo clássico com diversas figuras angelicais e mitológicas todas embrenhadas como que para saudar o homem ali se apresenta e fica duas horas cantando sobre os nomes que ele dá para suas armas, os apelidos que ele dá para suas namoradas, o flerte com a menina na festa de ontem a noite em Los Angeles, os carros que tem e que pretende comprar e roupas da Nike que brilham no escuro. Tudo tem a ver com a o fundo de palco barroco. Eu disse cantar? Não sei por que tive a impressão que quando eram utilizados aqueles efeitos de voz tratava-se de um playback. Antes dele aparecer no palco, um coro ensurdecedor de anjos seguidos por um som de órgão sintetizado no volume máximo, sugeriam o renascimento do Nosso Senhor. Algo épico. Para aquelas almas que acreditam nesse homem, o Sublime.
Ali, no meio daquela gente, entre Bibis e Betos Lees, me sentia uma ovelha negra. As roupas do pública brilhavam. As minhas e as da minha trupe eram todas escuras. " Não vai demorar muito para que percebam isso e matem um de nós" eu disse para o Magrão. Então o Kayne West seguiu cantando coisas que eu não conseguia identificar e como a cerveja estava muito agradável, e liberada, fui ficando mais animado e otimista. Então uma pausa dramática e a apresentação volta com nada mais nada menos que a música do Queen. O dj executa "we will rock you"' em tempo integral enquanto o ídolo fica parado de frente para a multidão com algo de arrogante no rosto captando as vibrações. O público? O público naturalmente que foi ao delírio. Você está no meio de 60.000 pessoas e toca aquela batida do Queen com a voz angelical do velho Fred cantando a todo o vapor, quem não vai entrar em transe? Quem não vai gostar? Quero dizer, ou esse Kayne West é jovem inteligente ou um farsante veterano, pois "What da Fuck" tem a música dele em comum com a do Fred Mercury? Para começar que esse cara deve ser homofóbico, como a maioria dos rapers americanos são. O povo fica louco. E não adianta dizer que é o mal dos trópicos. Não. O povo fica louco pelo mundo afora com essa incoerência.
Pra fechar com chave de ouro perto do final, outra pausa dramática e... o Dj ataca com "Chariot of Fire" sabe aquela música que se tornou um símbolo de esperança e equidade para as pessoas portadoras de necessídades especiais. Uma música composta por Vangelis, um sujeito pioneiro no new wave e na música experimental entre os anos 70/80. Será que o cidadão Kayne realmente gosta desse experimentalismo quase erudito do Vangelis? Talvez ele esteja mais interessado em ser visto pelos olhos do mundo como uma semiótica do sentimentalismo e de esperança, mal que, segundo os gregos permaneceu aprisionado na caixa de Pandora. Para melhorar, rolou um balé enquanto tocava a música e ele ficava olhando para as dançarinas com um misto de ignorância e confiança no rosto. Dentro de meu sarcasmo, e de minha cerveja, fiquei imaginando um balé de cadeirantes todos rodopiando e derrapando em meio ao Jesus Cristo negro que no final estendem juntos suas mãos para o céu, e milagre, os cadeirantes se levantam, chutam suas cadeiras velhas e começam a dançar Break em torno do Messias da música pop.
Na moral, esse cara é a maior farsa que eu já tive a oportunidade de assistir no Show Business. E quem acredita nele, porra, francamente... Nota do show 1.5

Show - 0.0
repertório - 0.5
Comportamento (0 meu) 8.0
Cerveja - 10

14 comentários:

  1. O que esperar do show do Kayne west?

    "como as pessoas importantes não querem saber de mim..."

    E talvez se você, erich, tivesse peitos grandes ele babaria os seus também. Vai saber o que se passa na cabeça do baterista do soad.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Adson...
    Mas você sabe o nome dele?

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Sei que seu primeiro nome é John, Mas o resto do nome do maluco eu não sei.

    Ansioso para Faith no more? estarei vendo amanhã!

    ResponderExcluir
  5. "John Dolmayan !", berrou a fangirl gorda e nordestina .
    = P

    Eu, literalmente, ri alto ao terminar de ler o começo do último parágrafo - santa incoerência dadaísta, caralho !
    Manda beijinhos meus a Phil Anselmo e a Mike Iñez, Erich ?

    Divirtam-se !

    ResponderExcluir
  6. John Dolmayan babando nos seios de sua mina, que puto!! Hahaha!!!
    No mais, hj é dia de lavar a alma mano!!
    Faith no More e Alice in Chains no mesmo festival!!
    E o Kayne East assim como outros, são mais que farsas, são marionetes da indústria da música e do consumo! só!

    ResponderExcluir
  7. " Quero dizer, ou esse Kayne West é jovem inteligente ou um farsante veterano, pois "What da Fuck" tem a música dele em comum com a do Fred Mercury? Para começar que esse cara deve ser homofóbico, como a maioria dos rapers americanos são."

    Cara, ele bota a música do Queen porque a música que ele vai cantar é "E.T.", da Katy Perry, e a batida das 2 músicas são parecidas. A Katy Perry faz a mesma coisa nos shows dela.

    E o Kanye não é homofóbico "como a maioria dos rappers americanos são". O pessoal diz que o Kanye é gay pelo jeito que ele gosta de moda / arte.

    Então, antes de criticar, é bom procurar conhecer o artista.

    ResponderExcluir
  8. Fanboy detected .
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Normal, é meio que nosso papel mesmo - defender, desmentir, fazer o/a bobo/a por vezes ...

    ResponderExcluir
  9. o que podemos esperar de um rapper que só sabe ofender os outros sem enxergar a si mesmo? Acho que nada além de uma enorme farsa.
    Mas queria ter visto o batera do SOAD babando nos peitos da ua mina, e bem que o Adson falou ali em cima: "se tu tivesse peitos grandes ele babaria nos teus também, vai saber o que passa na cabeça dele"
    Mas aí estamos nós, devemos criticar e opinar sobre a humilhação alheia, darmos risada e tantarmos achar algum sentido, no qual vemos que não há.

    ResponderExcluir
  10. você falou em monstros bíblicos, Kayne falou também. haha A parte incontestável disso tudo é que não tem como não babar a magrela, tendo você um nome ou não.

    ResponderExcluir
  11. Erich...Muitas vezes você já deve ter ouvido milhares de declarações, depoimentos de fãs, que te amam e amam seu trabalho. Esse pode ser mais um desses depoimentos, que talvez você nem leia, não de importância, mas estou aqui escrevendo e desejando que você leia com toda atenção e me de alguma resposta. Eu não sou a sua fã numero 1, com certeza tem alguém que sabe mais da sua vida do que eu, alguém que acompanhou sua carreira desde o inicio, mas certamente não tem ninguém que sente por você o mesmo que eu sinto, não com toda essa intensidade... ou talvez tenha. O fato é que queria apenas dizer o que você representa para mim: Você é meu estimulo, você é a minha luxuria, você é a minha vaidade, você é meu verdadeiro salvador, a minha inveja e minha ira, minha avareza, minha gula e minha preguiça, você é tudo que há de bom e também de ruim em mim. Você, que nem me conhece, é alguém que tem a capacidade de mexer com os meus sentimentos... você pode me deixar muito feliz ou EXTREMAMENTE triste. É como se eu fosse dependente de ti, dependente da sua existência, mesmo não te vendo ou, te tocando.E te tocar... tá ai um bom exemplo, eu sou como uma carola que ama seu deus mesmo não tocando-o!

    ResponderExcluir
  12. Vixi...que declaração hein!
    Todos(as) amamos/admiramos o Erich, mas fã numero 1 é o Adson! Disso todos nós sabemos e ninguém é tão fã como ele.
    Adson \O/
    Beijos Erich <3

    ResponderExcluir
  13. Capaz! todos nós somos fãs numero 1! Você, eu, eles e o nosso excelentíssimo satanás!

    "hey mister superstar,i'm your number one fan"

    ResponderExcluir
  14. O que esperar de um rapper, que ele chegue cantando umas musicas que provavelmente ele nem escreveu, tome a glória de todos aqueles que realmente fizeram a musica. Nas bandas de rock, para quem é fan mesmo da banda (diferentes dos posers), sabe que todos eles formam um círculo dividido entre os integrantes, em que cada um é importante e completa esse círculo, se um integrante sair, provavelmente ficará desalinhado por um tempo, procurará outro para completá-lo de novo, ou os que ficaram tentarão completar o círculo de novo, conheço bandas que acabaram, não voltaram a fazer sucesso ou que tiveram problemas para voltar a ativa, mas mesmo assim, os fans sempre sentirão falta do que completavam esse circulo (exemplos: avenged sevenfold(Rev) raimundos (Rodolfo)Guns n roses ( só ficou o Axl Rose).

    Esse é o meu modo de pensar, pra mim, não é somente o vocalista, é a banda ou o grupo todo. O Erich pra mim, é o melhor vocalista, mas junto com Lereu, Vidaut e Magrão são os caras que formam o Maldita, provavelmente não seria a mesma banda sem eles, que nem Guns n roses, pra mim ficou uma merda sem o Slash, Izzy Stradlin, Duff McKagan e Steven Adler. Erich, sou um grande fan seu, tento influenciar o máximo de gente que eu posso a conhecer a Maldita, acho que eu já disse, mas um dia, quero poder tocar com sua banda. Abraços.

    ResponderExcluir